• Câmara32

07/08/2017 12h36

Marquinhos insiste em 'corredor vazio' e quer abrir caixa-preta da Santa Casa

Hospital rebate críticas e pede cumprimento de obrigações do município

Midiamax

Imagens: Divulgação

Hospital Santa Casa/Campo Grande-MS(Foto: Divulgação)

Após disparar críticas à diretoria da Santa Casa, e ouvir do Hospital que a Prefeitura precisa cumprir com suas obrigações, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) frisou que imagens de um corredor vazia publicadas por um Jornal da Capital são a prova de que não há superlotação na unidade.

“Tem que abrir (a caixa preta). Tem que haver detalhamento dos valores que estão dentro da Santa Casa”, disparou o prefeito.

Apesar da afirmação do prefeito de que não há superlotação porque as imagens publicadas provariam o contrário, a Santa Casa abriu as portas na manhã desta segunda-feira (7), para mostrar que os setores destinados a atender pacientes mais graves permanecem superlotados.

Na última sexta-feira (4) havia, de fato, pessoas internadas nos corredores, mas a administração do hospital conseguiu agilizar a transferência dos pacientes, liberando os corredores, que não são locais próprios para internação, de acordo com o próprio diretor-presidente da ABCG (Associação Beneficente de Campo Grande), Esacheu Nascimento.

Enquanto o hospital alega que não há atualização do valor contratualizado com o município, o prefeito disse que a Prefeitura já repassa R$ 250 milhões anualmente, e que mais recursos devem ser pleiteados junto à bancada federal.

Lotação

A Santa Casa possuí seis leitos da ala vermelha – mais grave-. No início da manhã desta segunda, haviam 15 pacientes graves internados na ala vermelha, sendo que parte deles, ocupavam uma sala da área verde. São 12 pacientes entubados, sendo um com respiração manual. Uma morte foi registrada.

Também, há superlotação nas salas cirúrgicas. Três pacientes graves ocupando salas do centro cirúrgico e com isso, o hospital deixa de fazer em média 30 cirurgias